CONSUMO DE PROTEÍNAS E LESÃO RENAL

PrevNext
rins-1

CONSUMO DE PROTEÍNAS E LESÃO RENAL

Se você chegou até esse artigo é porque certamente tem dúvidas sobre o consumo de proteína e a saúde dos seus rins.

No artigo de hoje vamos tratar desse tema que gera algumas dúvidas e que é cercado por alguns mitos.

Quando falamos em dietas de baixo carboidrato e com maior aumento proteico costumamos ouvir que o consumo elevado de proteínas pode causar problemas nos rins, mas será que isso é de fato verdade?

COMER MAIS PROTEINAS CAUSA PROBLEMA NOS RINS?

Para início de conversa quem é portador de alguma doença renal deve tomar certos cuidados com a sua alimentação, não só com a proteína, mas com qualquer outro alimento.

Quem tem alguma doença nos rins deve procurar ajuda de um médico ou nutricionista para elaborar uma dieta que amenize o problema e não agrave a doença renal.

A pessoa portadora de alguma doença renal deve moderar o consumo de proteínas sob supervisão de seu médico ou nutricionista, não porque a proteína cause problemas renais, mas poque o individuo já é portador de alguma enfermidade nesse órgão.

Pessoas com rins saudáveis não tem por que se preocupar com o consumo de proteínas e seus rins sadios, dizer que consumir proteínas pode causar problemas renais é um mito.

POR QUE ISSO É UM MITO?

Esse mito gira em torno da afirmação que consumir grandes quantidades de proteínas irá sobrecarregar os rins, pois esses teriam mais “trabalho” para filtrar o sangue.

As proteínas são macronutrientes necessários para formação de células, renovação dos músculos e produção dos tecidos, processar esse macronutriente gera um resíduo chamado de ureia, para fazer a excreção da ureia há um aumento das funções renais para excretar esse produto final (ureia).

O mito com relação ao consumo de proteína se baseia no fato que devido ao aumento do resíduo (ureia) os rins trabalhariam mais para filtrar esse material do sangue e que essa sobrecarga causaria problemas renais.

De fato, para pessoas como problemas renais preexistentes isso é uma preocupação, mas em pessoas com rins normais isso não faz sentido algum.

Vamos tratar de alguns pontos que descontroem esse mito de que o consumo de proteínas pode prejudicar seus rins.

Primeiro ponto: um maior consumo de proteínas é uma estratégia eficaz para perda de peso e reversão do quadro de obesidade, já a obesidade em si é um fator de risco para doenças nos rins, ou seja, o consumo de proteínas leva a reversão de um fator gerador de doenças renais.

Segundo ponto: o maior consumo de proteínas leva a diminuição da pressão arterial e a pressão alta é um fator de risco para doença renal.

Terceiro ponto: nós seres humanos somos programados para consumir proteínas, até porque somos feitos de carne, foi consumindo proteínas que nossa espécie evoluiu, caso fosse o contrário            traríamos um longo histórico de doenças renais de nossos antepassados.

Quarto ponto: seja sincero, você já viu alguém com pedra nos rins ou que precise fazer hemodiálise por que comeu muito frango, ovos, carnes ou peixes?

Estudos alertam que o alto consumo de proteínas podem prejudicar pessoas com doenças renais diagnosticadas, mas não há estudos que façam relação entre consumo de proteínas e problemas nos rins para pessoas com rins saudáveis.

Você pode consultar alguns desses estudos clicando nos links:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1262767/?tool=pubmed

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/10578207/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2631482/?tool=pubmed

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/20338292/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3023677/?tool=pubmed

DIETAS LOW CARB, CETOGÊNICA E DOENÇA NOS RINS.

Como já falamos nesse artigo, se você é portador de alguma doença renal deve seguir uma dieta indicada pelo seu médico ou nutricionista.

O aumento do consumo de proteínas pode sim sobrecarregar um rim já enfermo, não porque a proteína faça algum mal, mas porque os rins já estão debilitados.

É como o consumo de frutas para um paciente diabético, ele não deve parar de comer fruta por que ela tem frutose e é prejudicial, mas sim pelo fato dele já ter uma grande quantidade de açúcar no sangue e o consumo de frutas levam ao aumento desses níveis de açúcar, não é a fruta que fez mal, ninguém fica diabético por comer banana demais, entende? Porém, depois que a doença chega, o consumo deve ser moderado sim.

Nas dietas Low Carb e cetogênica, ao contrário do que se pensa, não são dietas hiper proteicas, ou seja, dietas baseadas em proteínas.

Logo, pessoas com rins saudáveis, não devem temer seguir essas dietas com medo de ter problemas renais.

Já pessoas com problemas preexistentes devem procurar orientações médicas de qual dieta seguir.

Para um paciente com rim prejudicado de alguma forma a dieta é algo muito individual, cada caso é um caso, cada grau é um grau, por isso se você tem alguma patologia renal procure um médico ou nutricionista.

Agora se você é uma pessoa com rins saudáveis, não há por que se preocupar.

Mas como saber se você é uma pessoa com rins saudáveis?

Continue lendo que falaremos sobre isso a seguir.

COMO SABER SE MEUS RINS ESTÃO NORMAIS?

Os rins têm diversas funções entre elas: filtrar o sangue do corpo, controlar dos eletrólitos como sódio e potássio, ajudar na saúde óssea, participar da produção de vitamina D, para absorção do cálcio, cooperar na produção de glóbulos vermelhos, controlar o ácido base para que o sangue não fique ácido demais.

Como podemos ver os rins desempenham diversas funções na nossa saúde.

Os rins começam a apresentar uma queda no seu desempenho a partir dos 40 anos, uma perda de cerca de 1% da sua capacidade ao ano. Por essa razão, pessoas mais idosas não têm 100% das suas funções renais.

Além desse fator natural de depreciação do rim, fatores externos podem causar problemas renais como: beber pouca água, o consumo desenfreado de antibióticos e anti-inflamatórios como diclofenaco, nimesulida e ibuprofeno.

Temos também as pessoas do grupo de risco para doenças renais, são elas: obesos, diabéticos, hipertensos, idosos e pessoas com histórico familiar de problemas renais.

Para saber se seus rins estão trabalhando bem é necessário ir ao médico e realizar um exame de sangue para avaliar a creatinina.

A creatinina é um resíduo decorrente da quebra de uma proteína chamada creatina fosfato. Esse resíduo é eliminado pela urina, mas a dosagem desse resíduo é feita através de exame de sangue, assim um nível de creatina muito alto, fora dos padrões de referência podem indicar uma insuficiência renal.

Além dos exames de sangue também podem ser solicitados exames de urina para avaliar as funções renais. Exames de imagens ou até mesmo biopsias também podem ser solicitadas.

Outros fatores podem ser avaliados como histórico familiar, obesidade, diabetes, hipertensão e afins, todos esses fatores irão contribuir para o diagnostico eficaz.

Contudo, o exame de sangue creatinina já é um norte para avaliação dos rins.

Se você está no grupo de risco ou só quer saber como andam seus rins basta solicitar ao seu médico ou nutricionista esses exames.

COMPARTILHAR O ARTIGO

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Nutricionista e trabalha com a área de emagrecimento. se dedica em tempo integral ao seu trabalho e procura se inovar sempre no segmento nutricional.

CONTATO

© Bernardo Maia . Feito com ♥ por Agência Primage

× Fale Conosco!