fbpx

       

 

 

Disbiose intestinal: a importância da alimentação

PrevNext
05

Disbiose intestinal: a importância da alimentação

O funcionamento do seu intestino diz mais sobre sua saúde do que você imagina. E obviamente a função intestinal está diretamente ligada à alimentação e ao estilo de vida.

Quem desempenha um papel importantíssimo na digestão é a flora intestinal e se ela não estiver equilibrada, o funcionamento de todo o organismo estará comprometido. Este desequilíbrio recebe o nome de disbiose intestinal

Temos no trato gastrointestinal trilhões de bactérias e o funcionamento correto do intestino depende do equilíbrio entre as bactérias “ruins” e a nutrição das células da mucosa intestinal, e as bactérias “boas”, que “filtram” o que será absorvido pelo organismo. 

Se houver um desequilíbrio entre as bactérias “boas” e “ruins”, temos a disbiose intestinal, que provoca sintomas como desconforto abdominal, desnutrição, poderá comprometer o emagrecimento e também causar doenças graves, como câncer, infecções e até depressão. 

Depressão? Sim, pois 90% da setoronina e 50% da dopamina do organismo são produzidas no intestino. 

Pessoas com disbiose intestinal têm diminuição na produção de serotonina e são mais compulsivas, “quebrando” a dieta com mais facilidade. Neste caso, é possível fazer um trabalho focado em intestino para aumentar o controle quando você sente vontade de ingerir doces ou carboidratos. 

 

O que causa a disbiose intestinal?

Ela pode estar associada ao uso indiscriminado de medicamentos, como antibióticos, antiinflamatórios, laxantes, estresse e à alimentação. Neste último caso, o consumo de açúcares e farinha de trigo (olha eles aí, de novo) estão diretamente relacionados. 

Inserir alimentos funcionais, que ajudem a recompor a flora é essencial para que o intestino volte a funcionar corretamente. Aumente o consumo de fibras de origem vegetal, prebióticos e probióticos e fuja dos carboidratos, açúcares, gordura trans e modere no álcool. 

Seu intestino é muito mais importante e se você não tratá-lo primeiro não adianta querer resolver o resto. Imagine qualquer outro órgão seu sem funcionar. Seria péssimo, correto? Então por que tantas pessoas aceitam o mau funcionamento do intestino como algo normal? Pense nisso e procure orientação.

Quer saber mais sobre como ter uma alimentação saudável e cuidar do intestino? Entre em contato e agende uma consulta! É só clicar aqui.

Grande abraço, Bernardo Maia 

COMPARTILHAR O ARTIGO

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Nutricionista e trabalha com a área de emagrecimento. se dedica em tempo integral ao seu trabalho e procura se inovar sempre no segmento nutricional.

CONTATO

© Bernardo Maia . Feito com ♥ por Agência Primage